O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) deve ser ser elaborado por todos os empreendimentos considerados grandes geradores e/ou passíveis de licenciamento ambiental. É gerido atualmente pela Lei Federal 12.305, de 02 de Agosto 2010 que “Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências;”

Objetivo do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Tem por objetivo, propiciar ao empreendimento o controle total da geração, segregação, transporte, acondicionamento e destinação final dos resíduos sólidos.

Como é Feito o PGRS

A elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) tem início na fase de análise da situação atual, levantamento dos insumos utilizados, descrição do processo produtivo e levantamento dos pontos de geração, posteriormente a esta primeira etapa, são avaliados os resíduos passíveis de reutilização, tratamento e destinação final, sendo assim, determinadas todas as atividades necessárias à correta gestão dos resíduos no empreendimento.

A gestão possui uma estrutura baseada no fluxo dos resíduos, desde a geração até sua destinação final, são eles:

  • Análise da Situação Atual do Gerenciamento de Resíduos Sólidos;
  • Levantamento dos Insumos;
  • Determinação dos Pontos de Geração de Resíduos Sólidos;
  • Classificação dos Resíduos Sólidos;
  • Segregação;
  • Manuseio;
  • Transporte Interno;
  • Acondicionamento Temporário;
  • Transporte Externo e;
  • Destinação Final dos Resíduos Sólidos.

Classificação Utilizada

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) para a indústria, comércio e serviços utiliza como base a classificação determinada pela NBR 10004/2004:

Resíduos Perigosos (Classe I): são aqueles que por suas características podem apresentar riscos para a sociedade ou para o meio ambiente. São considerados perigosos também os que apresentem uma das seguintes características: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e/ou patogenicidade. Na norma estão definidos os critérios que devem ser observados em ensaios de laboratório para a determinação destes itens. Os resíduos que recebem esta classificação requerem cuidados especiais de destinação.

Resíduos Não Perigosos (Classe II): não apresentam nenhuma das características acima, podem ainda ser classificados em dois subtipos:

  • Classe II A – não inertes: são aqueles que não se enquadram no item anterior, Classe I, nem no próximo item, Classe II B. Geralmente apresenta alguma dessas características: biodegradabilidade, combustibilidade e solubilidade em água.
  • Classe II B – inertes: quando submetidos ao contato com água destilada ou desionizada, à temperatura ambiente, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água, com exceção da cor, turbidez, dureza e sabor, conforme anexo G da norma NBR10004:2004.

Quais os benefícios?

A correta gestão dos resíduos sólidos contribui diretamente com a redução dos riscos ambientais, acompanhamento e verificação de desperdício de matéria prima e consequentemente redução dos gastos relacionados e destinação dos resíduos sólidos gerados pelo empreendimento.

Com quem fazer o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos?

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) deve ser elaborado por profissional habilitado pelo conselho de classe e deve vir acompanhado da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

A LM Ambiente Engenharia e Consultoria Ambiental possui profissionais capacitados e com larga experiência na elaboração do PGRS, todos os planos são elaborados e definidos em conjunto com a gerência do empreendimento, tem como premissa a redução dos riscos ambientais, a redução de desperdício e dos gastos com a gestão e destinação dos resíduos sólidos.

Licenciamento ambiental

• LP, LI e LO
• Licença Ambiental Simplificada (LAS)
• Renovação de Licença de Operação

Resíduos Sólidos

• Gestão Inteligente de Resíduos Sólidos
• Destinação de Resíduos Sólidos
• PGRS, PGRCC e PGRSS

Ruído Ambiental

• Monitoramento de Ruído Ambiental
• Modelagem de Ruído Ambiental
• Diagnóstico de Ruído Ambiental

Gestão Ambiental

• Gestão de Condicionantes Ambientais
• Gestão para redução e Custos
• Gestão de Prestadores de Serviço